Search Tags for postpartumbody

I wasn’t going to post this because - who wants to see another picture of Chianti in her undies? 🤔😂 but here we are. 9 months in, vs. 9 months out.... my youngest baby went on 9 months yesterday and it still amazes me how fast that time has come. The 9 months he has been earth side has gone a shit load faster that the 9 months he was growing in my belly bloody did, that’s for sure! But it’s not only that that amazes me, it’s also what my body has been through and the changes it has made over the last 9 months. I thank my body as much as I can for carrying around and creating my amazing little humans, then adapting to me as I exercise and workout. I thank it for its strength and capabilities and all though it may not be perfect, it does me a hell of alota good 💕😘 And still, 9 months later I’m wearing my maternity underwear folded down 700 times 😂 Yay for spin class tonight 😩😩😩
Filho meu nunca vai dar escândalo em público, xilique, sapatear na loja de brinquedos. Isso era o que eu pensava, antes de ter filhos, quando encontrava uma criança dando um show em qualquer lugar. Torcia o nariz e julgava sem dó: filho-meu-nunca! A minha mãe até tentou me alertar, explicou que a criança em algum momento da vida vai agir assim. Até hoje, sinto as cusparadas caindo no céu em minha direção. Como quase todas as crianças do mundo, meus filhos já fizeram muita pirraça: brigaram por “nada”, deitaram no chão do avião e deram chilique em público. Como mãe, eu já fui firme, fingi demência, virei as costas e sai andando, e já botei a cria debaixo do braço e sai fugida Nenhuma mãe estará imune à birra. Vá por mim, mas anota no caderninho pra não esquecer. Pior do que ver seu filho fazendo pirraça, é lidar com os julgamentos. A regra de “por trás de uma criança birrenta há sempre uma mãe banana” deixa de fazer sentido quando a tal mãe pode ser vc. A mãe que usa o diálogo para contornar a situação é julgada de permissiva; a mãe que perde a paciência “nem merecia ter filhos”; e a mãe que foge dos embates em público é dominada por uma criança. A vida com filhos é cheia de altos e baixos e muitas emoções. E as vezes, a vida te pega de calças curtas, e a mesma criança que se comporta divinamente, também é capaz de se jogar no chão pelos motivos mais banais. É a etiqueta da roupa, o laço que caiu da cabeça, o último pedaço de biscoito que caiu entre os seus dedos, o pedido de colo negado pelo cansaço. Geração de mães bananas? Não somos n. Somos as mães cansadas de tanto dedões apontados e esgotadas de tantos julgamentos. Geração de mães bananas? Não somos n. Somos uma geração de mães cansadas que precisam lidar na real com todas essas expectativas de uma maternidade idealizada. Crianças não fazem birra para sempre. Aos poucos a gente vai aprendendo a lidar com as emoções. Mas sabe de uma coisa que ainda não te contaram amiga-futura-mãe? Amanhã a mãe “banana” pode ser vc. Nesse barco estamos tds juntas, mas nadar no mar de cuspe é opcional. E cabe a vc fazer diferente de mim. 👋 @Maezice . . #Repost @maezice
Did you know pelvic floor therapy can help you recover from giving birth faster? Gentle balancing of the pelvic muscles using internal and external techniques can optimize postpartum healing. Now being offered in Orange County. Click the link in bio for more info!
37.5 inside Vs outside 🌈✨No I’m not one of those crazy parents who still count in weeks still but this is a special day, a day I’ll never ever forgot obviously because I got my long awaited special baby & emergency c sections are scary as f*%^ #postpartumbody #allthefeels #emergencycsection #motherhood
Being home with this babe, and the freedom to do so makes my heart so happy! ❤️